All you need is love.

"A lua que eu mais gosto é a lua nova... e a crescente, porque lembra o sorriso do Cheshire Cat."
bacante boêmia vênus invisível veleia volátil e vil - em vão?

Black star dancing in the end of life.

Take these broken lights and learn to shine.

All your life, you were only waiting to this moment to be loved.

2 de julho de 2010

tentativa de conto

Um dia a menina acordara sem vontade de dizer nada. Não porque achasse que não havia mais nada a dizer, mas simplesmente porque achava que nada mais valia a pena ser dito; havia a pena de nada dizer, mas no entanto essa ainda era pior do que a de não dizer nada. Como viver uma vida em silêncio, se nossa sociedade é formada por palavras e diálogos o tempo todo? Como a menina irá sobreviver?  Seus pais suspeitaram de depressão ou envolvimento com álcool. Podia até ser isso, mas no fundo, no fundo profundo de sua essência, não era nada disso. Ela simplesmente desacordara sem aquele desejo de tantas palavras. E passara o dia todo apenas comendo, indo a escola e dormindo. À noite o silêncio esticava suas vertebras, que se reverberaram madrugada adentro, e de manhã o calor pedia permanência. Seu amigo não reparara a cor de suas muletas, e sim seu coração cor-de-rosa, que era muito mais do que isso. A menina boquiabriu-se. Seu amigo desmaiara, pois ela deixara escapar:

'A lua veio nos observar, mas nem nos chamou pra festa. Porque somos obrigados a comer? Quero ir a outro planeta, ao meu planeta. Sabiam que?'

Quando voltara a si, seu amigo respondeu, apontando com o dedo indicador para a sua cabeça:

'As ideias estão todas aqui dentro, não há como elas fugirem.'

Essa ideia reconfortara a menina, que começara a contar um conto sobre a história de dois insetos.


3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse é um blog quase totalmente escrito sobre uma lagarta que virou uma borboleta.
      ou uma patinha que virou um cisne (do cheiro do cravo, da cor de canela).
      nem dadá, nem concreto, inefável e indefinível
      como a vida, com seus reverses e suas quimeras, é indescritível e indecifrável
      decifra o enigma, que não é imagem nem palavra nem pensamento
      é um sentimento que traduza
      tudo o que não posso tocar
      além do toque factível, do tato
      e sim da emoção latente
      do lado esquerdo do peito
      entre a escápula e o coração
      pousa (ou alça voo?)
      um 'blackbird'

      Excluir
  2. p.s.: ³
    * facebook
    @Frilaba

    Gabriela Ziegler Saraiva.

    ResponderExcluir